13 de Julho de 2024

POLÍTICA Terça-feira, 16 de Agosto de 2022, 11:44 - A | A

CRÍTICAS AOS ADVERSÁRIOS

"Montaram uma chapa para disputar eleição em Cuiabá", ironiza governador

Mauro Mendes diz que prefeito Emanuel Pinheiro está mais focado na próxima eleição municipal do que em debater MT

Rafael Costa - HNT

mauro e apoiadores

 

O governador Mauro Mendes (União Brasil) ironizou, nesta terça-feira (16), as articulações do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), quanto à candidatura da esposa, a primeira-dama Márcia Pinheiro (PV), para enfrentá-lo nas urnas.

Na avaliação de Mendes, a chapa adversária foi montada mais preocupada com a próxima eleição municipal, que ocorre em 2024, do que a disputa ao Palácio Paiaguás. A declaração foi dada em coletiva à imprensa na sede do União Brasil, logo após oficializar seu primeiro ato de campanha, no qual contou com a presença de apoiadores.

"Ele [Emanuel Pinheiro] montou a chapa da Prefeitura. A candidata é a mulher do prefeito, o vice é o ex-secretário do prefeito e o prefeito ainda é o coordenador-geral da campanha. Ele está montando uma chapa para disputar a eleição em Cuiabá", declarou.

Mendes ainda ressaltou que sua prioridade é debater políticas públicas que possam contemplar todo Mato Grosso. Ao entender que cumpriu de maneira eficiente essa meta em três anos e meio de gestão, período correspondente ao primeiro mandato, o governador acredita que foi o diferencial para somar apoio ao oficializar sua reeleição.

"Vou debater todo o Estado. Tenho o apoio de 140 prefeitos que manifestaram por escrito essa intenção. Isso porque nunca tiveram tantos recursos para construir estradas e fazer outros investimentos em suas cidades por meio de convênios. O dinheiro não é roubado. Tivemos 3 anos e meio de muito trabalho e a meta é trabalhar ainda mais".

O governador também criticou a política de assistência social da Prefeitura de Cuiabá, a qual considera ausente, diante das necessidades crescentes dos cidadãos de baixa renda. Ao mesmo tempo, assegurou que não fará críticas de cunho pessoal aos adversários.

"A fila do ossinho é em Cuiabá porque a rede de assistência social não funciona. Está um caos a assistência social em Cuiabá. Mas, não haverá críticas de baixo nível nos debates. Faremos um bom debate para convencer o eleitor. Temos o desafio de falar a verdade porque muita coisa foi produzida pelo governo do Estado. Obras como a retomada do Hospital Central e a construção de mais outros cinco hospital, algo que era algo inimaginável há quatro anos quando assumimos o Estado sem pagar fornecedores e servidores públicos. O foco é falar do presente e do futuro mostrando a verdade", concluiu.



Comente esta notícia