13 de Julho de 2024

POLÍTICA Segunda-feira, 01 de Maio de 2023, 12:20 - A | A

MOTIVO DE ATRITO

Bolsonaro vai à Agrishow junto com governador de SP Tarcísio de Freitas

O ministro da Agricultura, Carlos Fávaro, afirmou que a organização do evento sugeriu a ele que fosse apenas no segundo dia do evento

CONTEÚDO ESTADÃO

bolsonaro e freitas

 Jair Bolsonaro e governador paulista Tarcísio de Freitas (Republicanos)

O ex-presidente da República Jair Bolsonaro chegou na manhã desta segunda-feira, 1º de maio, à principal feira de tecnologia agrícola do País, a Agrishow, realizada em Ribeirão Preto (SP). Bolsonaro entrou no evento acompanhado do governador paulista Tarcísio de Freitas (Republicanos), que deve entregar títulos de revitalização fundiária, tratores e assinar títulos de assentamento estadual.

Bolsonaro está acompanhado do ex-ministro do Meio Ambiente e hoje deputado federal Ricardo Salles (PL), seu candidato a disputar a Prefeitura de São Paulo em 2024, além de outros aliados, como Ibaneis Rocha, ex-governador do Distrito Federal. 

A Agrishow é um reduto eleitoral do ex-presidente, que ainda mantém fortes ligações com o setor. A expectativa de sua presença vinha sendo amplamente divulgada no interior paulista.

A presença de Bolsonaro no evento foi motivo de atrito entre a organização da feira e membros do governo do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva.
O ministro da Agricultura, Carlos Fávaro, afirmou que a organização do evento sugeriu a ele que fosse apenas no segundo dia do evento, para evitar constrangimentos diante da presença de Bolsonaro na abertura. O gesto foi recebido no Palácio do Planalto como uma "descortesia" e como demonstração de uma priorização do ex-presidente.

Tradicionalmente, a feira recebia autoridades oficiais do governo na abertura. No começo deste mês, quando perguntada em coletiva de imprensa sobre a presença desses interlocutores, inclusive para articulação sobre crédito, a organização da feira mencionou a expectativa de presença do ministro da Agricultura ou do vice-presidente, Geraldo Alckmin.

(Com Agência Estado)



Comente esta notícia