13 de Julho de 2024

OPINIÃO Sábado, 14 de Maio de 2022, 11:32 - A | A

Névio Lotufo é a cara de Cuiabá

NEILA MICROIF VESTIDO VERMELHO GDE

 Neila Barreto

Fundador da Cruz Vermelha em Mato Grosso, onde trabalhou como voluntário, em toda a sua existência, nasceu em 29 de maio de 1931, na Rua Bela do Juiz, hoje Rua 13 de Junho, Centro, em Cuiabá. Filho do senhor José Lotufo e senhora Francisca Hugueney Capriata Lotufo. Tinha orgulho em dizer que nasceu, viveu a sua vida inteira na mesma casa da Rua 13.

Passeio de bicicleta, escotismo, antiguidade, fotografia, esporte, coleções, relíquias, caros antigos, moedas, torneiras, chuveiros são coisas que tem a cara de Névio Lotufo. Era proprietário da mais antiga bicicletaria na Rua 13, a Motosblim, registrada na Junta Comercial do Estado de Mato Grosso desde 1953.

Por ocasião da minha pesquisa sobre a água de beber no espaço urbano de Cuiabá conversei muito com ele sobre as lembranças da implantação do sistema de abastecimento de água, expliquei a ele a importância de revitalizar a caixa d água velha que estava abandonada e cheia de entulhos. Ouvi longas histórias, aprendi com lindas lembranças. Hoje, o Museu do Morro da Caixa d´Água Velha tem o prazer de conservar uma pequena parte da sua memória. Lá estão expostas as suas torneiras, canos, chuveiros doados por ele, com carinho para que todos percebam a sua importância para Cuiabá.

Cineasta por conta própria, foi o primeiro mato-grossense a produzir um filme. Possuía filmadoras, filmes, equipamentos fotográficos e telefones de diversos tipos. Foi hábil ciclista, jogador de vôlei, patinador e dançarino. Era um apaixonado pela vida, por carros antigos e pela dança. Foi o primeiro colecionador de carros antigos em Cuiabá e o primeiro a constituir um time profissional de basquetebol. Tinha a juventude plena em todo o seu ser.

Tornou-se o “comendador Lotufo” ao ser agraciado pela Câmara de Vereadores de Cuiabá, há mais de uma década. Serviu às seleções mato-grossenses de basquete e voleibol nas Olimpíadas Universitárias do Brasil há 60 anos, em Niterói, no Rio de Janeiro. Porém, um dos seus maiores orgulhos foi ter carregado à tocha olímpica pela passagem em Cuiabá, no ano de 2007.

Faleceu em 07 de Outubro de 2011 em Cuiabá. Deixou um acervo importante para Cuiabá, Mato Grosso e Brasil.

(*) NEILA BARRETO é Jornalista. Mestre em História. Membro da AML e atual presidente do IHGMT.



Comente esta notícia