24 de Julho de 2024

CULTURA Segunda-feira, 08 de Julho de 2024, 10:13 - A | A

Conheça "Caloroso", o boi que se apresenta em eventos culturais de MT

Desde 2024, o Boi Caloroso existe e recorta a manifestação da cultura popular participando das apresentações do Buriti Nagô e em outros eventos como o Carnaval e a Festa Junina

Joice Gonçalves -PP

boi caloroso

 Vicenzo Zaleski e o boi Caloroso. (Foto: Reprodução)

Engana-se quem pensa que as tradicionais festas de Maracatu, típicas de Pernambuco, e a representação do Boi Bumbá, famoso no Festival de Parintins, no Amazonas, ocorrem longe do centro geodésico da América Latina.

Aqui mesmo, em Cuiabá, o Caloroso é a manifestação cultural do boi, que se apresenta em festas regionais e arrasta foliões por onde passa. Já o Buriti Nagô é um grupo de Maracatu que pode ser frequentemente visto na tradicional Praça da Mandioca.

Além de cultura e muita música, as semelhanças entre o grupo Buriti Nagô e o Boi Caloroso vão se afunilando ainda mais. Ambos se apresentam na Praça da Mandioca, lugar que dentro do seu cerne representa a magia da cuiabania.

O boi Caloroso colore esse nosso folclore urbano, mesmo na correria do dia a dia, ele entra como um recurso lúdico em um momento de lazer, para que as pessoas possam se permitir vivenciar de uma forma mais artística e sensível às apresentações”, conta Vicenzo Zaleski, um dos intérpretes do boi.

Pertencente ao grupo Devotos da Mandioca, o Caloroso já alcançou um sucesso até maior que o coletivo. Desde 2024, o grupo existe e recorta a manifestação da cultura popular participando das apresentações do Buriti Nagô e em outros eventos como o Carnaval e a Festa Junina.

No começo de 2024, tivemos uma reunião entre o Cordão Vem quem Quer e eu lancei a ideia baseada no Grupo folclórico Boi-a-Serra, de Santo Antônio de Leverger, e foi um sucesso”, explica ele.

Desde então, o fascínio de um forasteiro tem dado vida ao boi que celebra com alegria qualquer evento cultural em praças, ruas e avenidas de Cuiabá.

E o Maracatu?

Já para falar do Maracatu e sua representação na cultura local, o assunto alcança uma sensibilidade mais aflorada, visto que o movimento reconhecido mundialmente pelo batuque dos seus tambores, encontra resistência por parte da sociedade cuiabana.

 “O grupo de Maracatu Buriti Nagô é filho da nação de Porto Rico de Recife. Em Cuiabá ele existe há 10 anos. Temos cerca de 20 membros e nos apresentamos na Praça da Mandioca todas as terças, às vezes com o boi Caloroso também”, afirma Sueli Fátima, membro do grupo.

Ela contou ao Primeira Página que o grupo se manifesta culturalmente há muito tempo, mas tem enfrentado resistência da Secretaria de Ordem Pública de Cuiabá devido ao barulho feito pelos tambores.

Acredito que muito disso vem do preconceito enraizado por ser uma cultura de matriz africana em que a dança e o canto são formas de resistência. Estamos sofrendo perseguição nas apresentações por parte de comerciantes que não querem nossas apresentações e ensaios ali”, afirma.

Entramos em contato com a assessoria de imprensa da pasta, Alessandra Marques, para comentar o assunto, mas até a publicação dessa reportagem não obtivemos resposta.



Comente esta notícia