21 de Julho de 2024

SAUDE Quarta-feira, 07 de Junho de 2023, 19:15 - A | A

FARMÁCIA POPULAR

Anticoncepcional e remédio para osteoporose passam a ser gratuitos

Trata-se de produtos que eram oferecidos com preços mais baixos (50% de desconto) e agora passam a integrar o rol de gratuidade

Por Redação Agora MT

farmacia popular

 

Assim como remédios para hipertensão, diabetes e asma, medicamentos indicados para o tratamento de osteoporose e contraceptivos passam agora a integrar o rol de gratuidade do programa Farmácia Popular do Brasil, conforme o anúncio feito nesta quarta-feira (7) pelo Ministério da Saúde.

Até então, as medicações estavam disponíveis pelo programa em duas modalidades: gratuidade (asma, diabetes e hipertensão) e medicamentos de outras oito categorias ofertados em formato de copagamento, com até 90% de desconto.

Essa população terá acesso gratuito aos medicamentos indicados para o tratamento de osteoporose e a contraceptivos. São produtos que eram oferecidos pelo Farmácia Popular com preços mais baixos [50% de desconto] e que agora passam a integrar o rol de gratuidade”, afirmou no comunicado o ministério da Saúde.

Ainda de acordo com a pasta, mais de 5 milhões de mulheres que antes pagavam a metade do valor devem ser beneficiadas com a retirada dos produtos de graça.

Além disso, com a ampliação do programa, os beneficiários do Bolsa Família também terão acesso aos 40 medicamentos disponíveis na lista do Farmácia Popular do Brasil, que contempla o tratamento para 11 doenças. A iniciativa deve beneficiar 55 milhões de brasileiros.

Segundo o ministério, o governo federal retoma o programa com a expansão da oferta gratuita de medicamentos e o credenciamento de novas unidades em municípios de maior vulnerabilidade.

Com as novas habilitações que serão abertas, a expectativa é que o Farmácia Popular, até o fim do ano, passe a ter unidades em 5.207 municípios brasileiros. O programa foi relançado nesta quarta-feira pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), em evento em Pernambuco.

Antes do Farmácia Popular, o povo ia na UBS, ia a um posto de saúde, era atendido pelo médico, pegava a receita e levava para casa. Muitas vezes, acabavam morrendo com a receita em cima da mesa, porque não tinham dinheiro para comprar o remédio. Isso não vai mais acontecer no nosso país. É por isso que nós resolvemos lançar o programa há tantos anos. Ele foi diminuído pelo governo passado, mas nós voltamos agora com mais força, mais remédio e capacidade de atender à totalidade das pessoas necessitadas do Brasil. Cuidar de doença é caro, e cuidar da saúde não é gasto, é investimento”, disse Lula.

O programa Farmácia Popular do Brasil também passa a ofertar todos os medicamentos do rol de forma gratuita à população indígena.

O Ministério da Saúde disse ainda que vai facilitar o acesso ao programa para a população indígena aldeada.

Para evitar o deslocamento dessa população, será nomeado um representante de comunidade responsável por retirar os medicamentos indicados, sem necessidade de ter um CPF para ser atendido”, disse a pasta sobre a iniciativa, que entrará em prática em um projeto-piloto no território yanomami, em Roraima, e, em seguida, expandida de forma gradual para outras regiões do país.

Farmácia Popular do Brasil

Criado em 2004, o programa Farmácia Popular do Brasil é uma ação complementar de assistência farmacêutica do Sistema Único de Saúde (SUS). Inicialmente, foram ofertados medicamentos com preços mais baixos. Em 2006, na primeira expansão do programa, o Ministério da Saúde fechou parceria com as farmácias e drogarias da rede privada, instituindo a modalidade “Aqui Tem Farmácia Popular”.

A partir de 2011, o programa começou a ofertar à população medicamentos gratuitos indicados para o tratamento de três doenças.

São elas:

• asma;

• diabetes;

• hipertensão.



Comente esta notícia