13 de Julho de 2024

POLÍTICA Sábado, 09 de Julho de 2022, 10:24 - A | A

TRETA BOLSONARISTA

VEJA PRINTS: Homem chama deputado de "Catarro" e o acusa de cobrar propina

Igor Guilherme Estagiário | Estadão Mato Grosso

deputado gilberto catanni

 O deputado estadual Gilberto Cattani (PL) 

O deputado estadual Gilberto Cattani (PL) processou um corretor imobiliário por ter sido chamado de “Gilberto Cattarro” em um grupo de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PL) no WhatsApp. O homem ainda acusou o deputado de ameaçar e cobrar propina de assentados da reforma agrária.

Nas mensagens, o homem chamava Cattani por esse apelido especialmente para criticar o apoio do deputado ao governador Mauro Mendes (UB) e ao senador Wellington Fagundes.

Vários prints que continham ataques contra Cattani foram anexados ao processo. Em um deles, o corretor chama Cattani de “bosta” e de “capacho” do senador Fagundes e do governador Mauro. Além de Cattani, o corretor também ofendeu o advogado André de Moraes Máximo, enviando áudios para ele com ataques ao deputado.

Olha aqui ô seu verme, vagabundo... se você tá defendendo esse boca de caçapa, esse boca podre desse Cattani aí, porque ou você ama ele ou porque você deve ganhar alguma coisa, né? Tá defendendo ele porquê? Ele também não foi eleito, ele não teve voto suficiente para ser eleito, ele só está deputado porque o Silvio Fávero morreu, tá?”, diz um dos áudios, transcrito e anexado no processo.

Além do apelido com o sobrenome do deputado, a defesa de Cattani também incluiu trechos em que o homem acusa Cattani de ameaçar e cobrar propina de assentados.

Como é que é, cê é da turminha do Cattani, Cattani ex-assentado, que cobrava e cobra propina dos cara, mete medo nos assentado pra ir ficar com os melhor terreno quando é distribuído? Cê cala sua boca rapaz, cê não sabe o que cê tá falando não, seu bostinha, seu vermezinho”, diz outro trecho do áudio, endereçado ao advogado André.

O deputado pede à Justiça que o acusador seja condenado ao pagamento de R$ 20 mil em indenização, por calúnia e difamação.

 

ÁLBUM DE FOTOS

 
 
 
 
 
 
 


Comente esta notícia