21 de Julho de 2024

POLÍTICA Quarta-feira, 27 de Julho de 2022, 17:15 - A | A

ELEIÇÕES 2022

Natasha, Allan e Gilberto defendem o SUS em reunião em Campo Verde

Da Redação c/ Assessoria

allan e natasha e gilberto

 

A médica e pré-candidata ao Senado pelo PSB, Natasha Slhessarenko, elogiou os investimentos realizados na saúde pública de Mato Grosso durante a gestão do governador Mauro Mendes (UB), em evento na cidade de Campo Verde, na noite desta terça-feira (26). A reunião contou com a presença dos profissionais da saúde e ocorreu de forma conjunta com os pré-candidatos Gilberto Figueiredo (UB), que concorre a uma vaga na Assembleia Legislativa, e Allan Kardec (PSB), que disputa a Câmara dos Deputados.

Natasha lembrou dos seis hospitais que estão sendo construídos em Mato Grosso e ressaltou toda a organização feita pelo Governo Estadual durante a pandemia de covid-19, criando o Centro de Triagem - que atendeu mais de 240 mil pessoas em Cuiabá - e o esforço para garantir leitos de UTI para dar suporte aos casos mais graves.

Gostaria de parabenizar Gilberto por toda sua gestão na área da saúde, parabenizar o governador Mauro Mendes que realmente tem feito muito pela saúde pública do nosso estado. São seis hospitais em construção. A gente sabe da importância de ter leitos de UTI para adultos, crianças e recém-nascidos. Parabéns pelo centro de referência de triagem de Covid que vocês criaram. Isso fez a diferença na vida dos mato-grossenses. Isso demonstra que o governador Mauro Mendes, alinhado com você, Gilberto, pensaram na saúde, se estruturaram, planejaram. Eu gostaria em estando no Senado Federal poder continuar ajudando Mato Grosso a caminhar cada vez mais para frente”.

A pré-candidata defende que o Sistema Único de Saúde precisa ser discutido no Congresso Nacional, uma vez que as filas de espera por procedimentos aumentaram com o impacto da pandemia e que 75% da população brasileira depende do sistema. Defende ainda a revisão do orçamento destinado à saúde, assim como dos valores contidos na tabela SUS e uma maior responsabilização do Governo Federal no custeio dos serviços prestados.

Natasha tem equilíbrio na sua fala, sem estar carregada de ideologias, que são importantes, mas não faz disso uma bandeira para sua vida. Ela quer resolver a vida do povo e está aí mostrando a cara diante de um cenário muito difícil, mas é a única mulher que vai se colocar na disputa eleitoral. E ela vai ter um resultado fantástico pela leveza e por aquilo que ela pode representar para nós lá no Senado”, avaliou o deputado estadual e pré-candidato a deputado federal, Allan Kardec.

A Natasha é uma pessoa que está aí como um fato novo, muito bom isso. Acho que a polarização ela desgasta e você tem tudo para navegar nesse meio, com pensamento novo, com proposta nova e eu peço a Deus que você possa ter muito sucesso”, desejou o prefeito de Campo Verde, Alexandre Lopes.

A secretária municipal de saúde e vice-prefeita Edna Queiroz da Silva (PSB) frisou a importância de se fazer escolhas conscientes. Foi ela a responsável pela organização da reunião. “Política acontece todos os dias, quando nós escolhemos errado pagamos por isso. Todos os dias a saúde sofre, a educação sofre, o desenvolvimento sofre. Então, o que peço a vocês: pensem. Levem essa mensagem, falem com os parentes, falem com os amigos da importância de saber escolher”.

Edna salientou porque escolheu apoiar Natasha nessa pré-candidatura ao Senado da República.

Natasha é uma mulher arrojada, mulher de força. E o que muda numa pessoa como a Natasha e como a Edna? A gente entende que a mulher tem capacidade, que mulher não entra para preencher figurinha. Quando Natasha entra, entra valendo, entra pra disputar. Natasha não está aqui para dar legenda. Natasha está para disputar uma candidatura ao Senado e é a única mulher. É assim que as mulheres se sobressaem. Que orgulho”.

A pré-candidata ressaltou que o seu projeto também visa aumentar a representatividade feminina nos espaços de poder. Em que pese as mulheres representarem 52% da população brasileira, não passam de 16% nos legislativos e executivos. No Senado, dos 81 senadores, apenas 13 são mulheres. E isso de forma temporária, uma vez que a suplente Margareth Buzetti (PP), de Mato Grosso, assumiu a vaga deixada com a licença do senador Carlos Fávaro (PSD).



Comente esta notícia