24 de Julho de 2024

POLÍCIA Terça-feira, 18 de Junho de 2024, 16:16 - A | A

TERCEIRO DO RANKING

Taxa de assassinatos de mulheres em Mato Grosso é quase o dobro da nacional

Mulheres negras são principais vítimas; dados são do Atlas da Violência de 2024 divulgado nesta terça-feira

JOLISMAR BRUNO - HNT

mulher assassinada

 

A taxa de assassinatos de mulheres em Mato Grosso é de 6,2 por 100 mil habitantes, quase o dobro da nacional, que é de 3,5/100 mil.

Os números são referentes ao ano de 2022 e coloca o Estado em terceiro do ranking com a maior taxa de mortes violetas de mulheres, ficando atrás de Roraima (10,4/100 mil) e Rondônia (7,2/100 mil). As negras são as principais vítimas dos feminicídas.

Os dados são do Atlas da Violência 2024, com número referentes ao ano de 2022, do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), divulgados nesta terça-feira (18). 

O caso mais recente de homicídio cometido contra uma mulher no Estado foi o da jovem Jhulia Glezia Souza Neres, de 18 anos, no último final de semana, em Guiratinga (327 km de Cuiabá). Ela foi assassinada pelo ex-namorado Matheus Martins de Araújo, de 23 anos, que confessou ter assassinado a mulher por ciúmes. Em razão disso, o caso é tratado como feminicídio, pois a vítima foi morta por sua condição de mulher.

Segundo os dados, em 2022, foram registrados 108 homicídios de mulheres em Mato Grosso. Desse total, 84 vítimas eram negras e a maioria dos crimes foi praticada fora das residências (2,3/100 mil). 

Os números tiveram alta quando comparados aos do ano de 2021, quando 81 homicídios de mulheres foram registrados e, do total, 62 vítimas eram negras. A maioria dos crimes também foi fora das residências (2,4/100 mil). 

Já os registros de mortes contra mulheres não negras foram de 19 em 2021 e 23 em 2022. Conforme os números, de 2012 a 2022, Mato Grosso apresentou alta de 8% nos casos de homicídios de mulher. 

CASOS DE HOMICÍDIOS EM 2024

O ano de 2024 também já foi marcado por crimes brutais praticados contra mulheres em Mato Grosso. Como já mencionado, recente caso da jovem Bruna Oliveira esfaqueada até a morte e arrastada pelas ruas de Sinop chocou todo Estado. O corpo de Bruna foi encontrado em uma vala.

Contudo, este não é um caso isolado. Lediane Ferro da Silva, de 43 anos, também foi outra vítima da brutalidade praticada pelo ex-marido, no mês de abril, em Peixoto de Azevedo (643 km de Cuiabá). Ela foi morta na frente dos filhos dentro de casa. 



Comente esta notícia