13 de Julho de 2024

POLÍCIA Quarta-feira, 29 de Novembro de 2023, 09:58 - A | A

VOCÊ VIU ESTE HOMEM?

Polícia Civil pede ajuda da população para identificar autor de duplo homicídio no Shopping Popular

Denúncias podem ser feitas ao Whatsapp da DHPP (65) 98173-0559, ou pelo 197

Leiagora

assassino shopping popular

 

A Polícia Civil de Mato Grosso pede a ajuda da população para identificar e localizar o executor do duplo homicídio ocorrido na semana passada, no Shopping Popular, em Cuiabá.

Nesta terça-feira (28), a instituição divulgou uma imagem obtida pelas câmeras de segurança do centro comercial, onde é possível ver com clareza o rosto do suspeito.

O caso é investigado pela Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa da Capital.

 Denúncias podem ser feitas ao Whatsapp da DHPP: (65) 98173-0559, ou pelo 197 da Polícia Civil.

O sigilo da informação é absoluto e garantido.

As vítimas do homicídio foram identificadas como Gersino Rosa dos Santos, 43 anos, e Cleyton de Oliveira de Souza Paulino, de 27 anos. Ambos foram a óbito ainda no local do crime.

Conforme o delegado Nilson André Farias, as diligências apontaram que o alvo do executor era o comerciante Gersino, proprietário de uma banca de produtos eletrônicos no centro comercial. Já a vítima Cleyton Paulino era funcionário de outra loja no shopping.

A segunda vítima, ao que indica os levantamentos, foi atingida durante a execução do alvo do criminoso pelo mesmo disparo. Contudo, o delegado reforça que apenas o resultado pericial poderá comprovar se apenas um disparo foi efetuado em direção ao alvo principal e transfixou, atingindo a outra vítima.

Logo após os homicídios, a equipe da DHPP localizou uma camiseta branca, nas imediações do local, antes usada pelo executor do crime, conforme mostram imagens do circuito de câmeras de segurança do local. A camiseta foi encontrada durante varredura nas proximidades do shopping para identificar as rotas de fuga utilizadas pelo criminoso e foi abandonada na tentativa de despistar as buscas pelo atirador. O material foi encaminhado para perícia.

A unidade policial não descarta nenhuma linha de investigação e apura se a ação tem ligação com atividades de uma organização criminosa.



Comente esta notícia