13 de Julho de 2024

POLÍCIA Terça-feira, 23 de Agosto de 2022, 18:36 - A | A

SEGURANÇA

MT lidera conflitos por terra no Centro-Oeste 

Relatório do CPT (Comissão Pastoral da Terra) mostra 108 ocorrências em 2021 no Estado

Redação PP

arame farpado

 

Mato Grosso aparece em primeiro lugar em número de conflitos por terra no Centro-Oeste. Os dados são da 36ª edição do relatório do CPT (Comissão Pastoral da Terra), que foram divulgados nesta terça-feira (23), em Cuiabá.  

O relatório reúne dados sobre os conflitos e violências sofridas por trabalhadores do campo brasileiro, bem como indígenas, quilombolas e demais povos tradicionais do campo, das águas e das florestas, em 2021. 

Segundo o documento, foram registradas 108 ocorrências de conflito no campo em Mato Grosso, envolvendo 13.030 famílias. Dentre esses conflitos, 240 famílias foram expulsas por pistoleiros das terras onde viviam e 150 foram despejadas pela Justiça. 

Já as ocorrências de conflitos por água foram de 19, com 2.264 famílias envolvidas. As ações de pistolagem foram de 605 no último ano. 

Alvos da violência  
O documento ainda mostra que as pessoas que mais sofreram com os conflitos por terra em 2021 no estado foram os povos indígenas (48 conflitos), sem-terra (11) e assentados (8 casos). 

Já os principais causadores de conflitos, segundo o relatório, foram os fazendeiros, responsáveis por 15 casos, seguidos por grileiros, que somaram 11 conflitos, madeireiros, com 9, e o Governo Federal, 7. 

O coordenador regional da CPT, Welligton Douglas, afirmou que os dados mostram as pressões que esses grupos vêm enfrentando.  

Por ter uma grande predominância em Mato Grosso do agronegócio, produção de soja, esses grupos vêm encarando um grande enfrentamento. No estado, os conflitos foram mais em territórios indígenas, mas também aconteceram invasões em assentamentos”, declarou ao Primeira Página.  

Líder no Centro-Oeste
Mato Grosso lidera, no Centro-Oeste, as categorias de violência contra a pessoa ou à posse em:  

conflitos no campo 
famílias envolvidas nos conflitos no campo 
desmatamento ilegal 
despejo judicial 
contaminação por agrotóxicos 
destruição de pertences 
ações de pistolagem 
invasão de territórios das comunidades 
impedimento de acesso a áreas de uso coletivo das comunidades 
Elevação da violência  
A partir da análise dos dados de conflitos no campo em 2021, a CPT aponta que diminuiu a violência contra as pessoas, apesar dos números continuarem elevados. Porém, aumentou a violência contra as ocupações e posses das famílias.  



Comente esta notícia