19 de Julho de 2024

OPINIÃO Quinta-feira, 27 de Abril de 2023, 15:46 - A | A

O voo da Manu

kleber Lima

 Kleber Lima

Certa vez, quando que eu era secretário de Comunicação da Prefeitura de Cuiabá, ao passar pela região da Praça da Mandioca avistei uma mulher loira, alta, trepada numa árvore para amarrar uma faixa de propaganda do Carnaval que a Secretaria de Cultura do Município realizaria ali naquele espaço dali a uns dias.

O ano era 2014, e a secretaria de Cultura, que era fundida com Esportes e Lazer, estava sendo dirigia havia pouco tempo pelo então cantor sertanejo Beto Dois a Um. A cena da loira na árvore me fez ligar para o Beto e investigar aquele ato para mim fortuito.

Foi quando descobri que aquela passarinha era a Emanuelle Calgaro, esposa do adjunto de Cultura Paulo Traven, e fazia aquele trabalho de auxiliar na divulgação do evento que o marido estava à frente por companheirismo a ele e voluntariado ao município.

Para aumentar meu espanto, logo transformado em admiração, descobri que a Manu, o apelido pelo qual passei a tratá-la, era secretária de Cultura (ou o equivalente) no município de Campo Verde. Mas, bah!, pensei, é disso que precisamos, de pessoas que arregaçam as mangas e vestem a camisa dos projetos que se dispõem a tocar, mesmo que por solidariedade, voluntarismo ou companheirismo!

Pouco tempo depois, n oinício de 2015, já como secretário de Governo e Comunicação, após a fusão das duas secretarias pelo prefeito Mauro Mendes, convidei a Manu para trabalhar conosco numa vaga que se abriu no Cerimonial da prefeitura após a saída de outra amiga gigante no que faz – a Agda Catulé.

Nascia ali uma amizade profícua, fiel, duradoura e absolutamente fraterna.

Da prefeitura partimos para outros vôos. Juntos, fomos para a Secretaria de Comunicação do Governo do Estado, no final de 2016, na gestão do governador Pedro Taques. Eu, como secretário, ela como minha chefe de gabinete.

Um período tenso que exigiu de todos nós além de competência e compromisso, tolerância, resiliência e paciência. Levamos muitas pedradas e deixamos algumas penas voando pelos ares. Mas, sobrevivemos. E juntos!

Da Secom – na verdade, se chamava Gcom, mas nunca gostei dessa sigla – batemos asas para a secretaria de Cultura. Chegamos lá numa calorosa manhã do dia 22 de janeiro de 2018. Eu, como Secretário, e a Manu, como minha Adjunta, bem como o Allan Lin, outro amigo querido, para cuidar da parte sistêmica.

Ficamos cerca de 90 dias em nossos cargos na Secultura, mas deixamos um legado singelo: abrimos as portas da secretaria para os artistas, que já não reconheciam mais aquele lindo espaço nas proximidades Shopping Goiabeiras como sua casa.

Divulgação

manu

 Emanuele Calgaro no seu processo criativo


 

Ah, também fizemos o Showdré, um sarau com muita música e poesia em homenagem ao incrível Antônio Sodré, O Poeta de La Transmutacion, com o apoio do valoroso trabalho voluntário de um coletivo de cultura espetacular.

No piso térreo da secretaria de Cultura – igualmente fundida com Esporte no atual governo -, funcionava e ainda funciona toda a parte burocrática e sistêmica da secretaria, mas também funciona a maravilhosa Galeria Lavapés.

Fui tomado pela emoção ao retornar àquele espaço na noite desta quarta-feira (26) para prestigiar a abertura da exposição Suspensão, da Emanuele Calgaro, a minha querida amiga Manu, com seus belos desenhos de pássaros.

A retrospectiva que sintetizo neste texto me ocorreu enquanto eu contemplava e fruía cada tuiuiú, tucano, arara e colhereiro que saiu das pontas dos lápis de aquarela multicoloridos da Manu. Eles pareciam sair das telas voando, inclusive um gigantesco par de asas angelicais colocado à disposição dos visitantes para fotos. Sendo guiados pela passarinha-Mor Emanuelle Calgaro, com seu voo de andorinha levando o bando de tantas espécies na sua migração de renascimento.

A mesma emoção que sinto agora, ao escrever essas poucas linhas e por me lembrar das ressurreições e reinvenções Manu que testemunhei. E lembrei que todos nós podemos renascer e nos refazer em nossas caminhadas neste plano, deixando para traz aquilo que nos oprime, reprime e deprime para voar mais alto e mais longe, em outras paisagens, guiados pelo sol, pelas estrelas e pelos pássaros.

Ao lado do hoje deputado estadual Beto Dois a Um, da deputada Janaina Riva e da ex-secretária de Cultura, Janete Riva, entre outros que lá estavam presentes, pude falar algumas palavras na singela e bela cerimônia de abertura da exposição. Mas, faltou dizer algo que direi agora para a Manu, para a Emanuelle e para a Tuka (outro de seus codinomes), bem como para todas as pessoas que gosto, citando Mário Quintana:

- “Todos estes que estão atravancando o meu caminho / Eles passarão / Eu passarinho!”

Voe, Manu, que você é passarinha, feita para voar!

(*) KLEBER LIMA é Diretor de Jornalismo de HiperNoticias.

P.S: A Exposição Suspensão da artista plástica Emanuelle Calgaro pode ser visitada na Galeria Lavapés, sede da Secretaria de Estado de Cultura, Esportes e Lazer - SECEL (Av. Jose Monteiro de Figueiredo, 510 - Duque de Caxias), de segunda à sexta-feira, das 09h às 18h, até o dia 9 de junho. A entrada é franca.



Comente esta notícia