19 de Julho de 2024

INFRAESTRUTURA E MEIO AMBIENTE Sexta-feira, 16 de Junho de 2023, 17:40 - A | A

CONVIDADO A PARAR DE FALAR

Secretário da Sinfra se mantém na tribuna em fórum sobre ferrovias em SP para falar de MT

Marcelo Oliveira, que pediu respeito ao Estado, citou crescimento de 12%, no último ano, da produção agrícola ao defender construção de vias sob trilhos para viabilizar o escoamento de grãos

CAMILA RIBEIRO - HNT

Marcelo Oliveira

 O secretário de Infraestrutura e Logística de Mato Grosso (Sinfra-MT), Marcelo de Oliveira

O secretário de Infraestrutura e Logística de Mato Grosso (Sinfra-MT), Marcelo de Oliveira, recusou-se a deixar a tribuna do “Fórum de Debates - Ferrovias em Foco”, realizado nesta quinta-feira (15), em São Paulo.

O gestor da pasta estadual foi interrompido durante sua defesa à construção de ferrovias e pediu respeito ao Estado, cuja produção de grãos cresceu 12% no último ano e depende do avanço no setor para viabilizar o escoamento dos insumos agrícolas. 

Vocês precisam entender Mato Grosso, o problema é esse. Vocês querem saber mais de Mato Grosso, não querem?”, perguntou Marcelo Oliveira à plateia seleta de autoridades. “Você vai me desculpar, mas vou falar mais um pouquinho. Mato Grosso precisa ser colocado. Quase ninguém estuda sobre Mato Grosso, Mato Grosso do Sul”, disse o líder da Sinfra.

No evento, foi promovido pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas da Universidade de São Paulo, o membro do governo lembrou que o Estado tem o maior rebanho do Brasil e é o principal produtor de grãos do país.

Do ano passado para esse ano, a produção de grãos no estado de Mato Grosso cresceu 12% e todo mundo fica falando do crescimento do Brasil negativo, de 0,5% ou de 1%. O estado de Mato Grosso cresce a 5,9% do PIB. É impressionante o crescimento do estado de Mato Grosso. Mato Grosso pede respeito e pede passagem”, falou Marcelo Oliveira.

O secretário também retomou o histórico da primeira ferrovia estadual do Brasil em construção no Estado, operada pela empresa Rumo Logística. O investimento total previsto é de R$ 15 bilhões. Ele citou o atraso na execução. 

A rumo está lá e é parceria. Precisamos desse primeiro trecho o mais rápido possível. A tendência é de 5 anos, mas acho que não vai dar certo, pois já tem um ano de atraso. Mas, acredito que em 2030, a gente chega a Lucas do Rio Verde, e para cada quilômetro que a gente asfalta, para cada ligação de município que a gente faz é impressionante a produção de grãos”, declarou o gestor. 



Comente esta notícia