13 de Julho de 2024

INFRAESTRUTURA E MEIO AMBIENTE Terça-feira, 16 de Janeiro de 2024, 14:20 - A | A

BRT

Prefeito alerta para falta de documentação após início de obras do BRT em Cuiabá

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, afirmou que o projeto do VLT Cuiabano tem o aval do Governo Federal, através do PAC Mobilidade Urbana

Primeira pagina

brt cba

 

As obras de implantação do Sistema BRT em Cuiabá foram iniciadas nesta semana pelo Governo de Mato Grosso. Os trabalhos começaram na Avenida do CPA, nas proximidades do Comando Geral da Polícia Militar.

O Consórcio responsável pela obra trabalha no sistema de drenagem no canteiro central. Após a execução deste serviço, os trabalhos vão avançar para a construção da pista de concreto, incluindo a remoção da capa asfáltica e execução da terraplanagem.

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), afirmou que está em Brasília, junto com o deputado federal Emanuelzinho, para uma reunião no Ministério das Cidades e que o projeto do VLT Cuiabano tem o aval do Governo Federal, através do PAC Mobilidade Urbana.

Ele avaliou a ação do governo estadual como precipitada, destemperada e desesperada.

Essa ação do governo, destemperada e desesperada já era esperada porque eles estão vendo o avanço e a total viabilidade da concretização do VLT Cuiabano, 100% com o apoio e recursos do governo federal através do PAC Mobilidade Urbana. Então essa ação precipitada de começar a mexer para gerar um clima de que o BRT, as obras do BRT vão começar em Cuiabá, já não é nenhuma novidade, é uma missa encomendada”, afirmou o prefeito.

Ele disse ainda que determinou ao secretário de Ordem Pública, Leovaldo Salles, para que assuma pessoalmente o comando da fiscalização a partir de agora e vá até a obra, juntamente com a fiscalização, exigir toda a documentação necessária, as licenças necessárias. “Não tendo licença, segundo manda a lei, eles têm que a obra tem que ser embargada”, disse.

A Sinfra-MT (Secretaria de Infraestrutura de Mato Grosso) disse que não vai se pronunciar sobre o assunto.

VLT Cuiabano

A Prefeitura de Cuiabá submeteu ao Novo PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), do Governo Federal, um projeto do VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) para Cuiabá. A proposta é que a Capital tenha duas linhas do modal, com 23 km de trilhos. Para isso, o custo do projeto se aproxima de R$ 5 bilhões.

O projeto reestruturado pelo município de Cuiabá propõe que o VLT tenha 23.125 metros, 3 terminais de integração, uma estação de conexão e 32 estações de transbordo.

A grande novidade do projeto é que, com a exclusão do modal em Várzea Grande, há o acréscimo do trecho do Coxipó até o Distrito Industrial. Veja como ficam as linhas:

No projeto, a prefeitura aponta que, nas duas linhas, já há obras executadas, mas que haveria a necessidade reparos e ampliação de alguns pontos. O município ainda alega que o projeto original de implantação do VLT de Cuiabá já possuía as licenças ambientais, assim necessitaria apenas da renovação ou revalidação.

História do VLT

O VLT era uma das obras para Copa do Mundo no Brasil, em 2014. A construção parou naquele mesmo ano, depois que a PF (Polícia Federal) e o Ministério Público denunciaram corrupção e desvio de dinheiro.

O então governador Silval Barbosa chegou a ser preso e fez delação premiada. A obra já custou R$ 1 bilhão. O consórcio, numa estimativa feita há 5 anos, calculava que precisaria de mais R$ 922 milhões para terminar.

Depois de todo o investimento, o Governo do Estado decidiu trocar o modal de transporte, de VLT para BRT.

O VLT é um trem de superfície movido a energia elétrica. Já o BRT, é o serviço de ônibus que usa corredores exclusivos. O governador Mauro Mendes garantiu que foi feito um estudo e o BRT se mostrou mais eficiente.



Comente esta notícia