13 de Julho de 2024

INFRAESTRUTURA E MEIO AMBIENTE Quinta-feira, 16 de Novembro de 2023, 12:56 - A | A

Fogo se alastra e toma conta da Transpantaneira, entrada do Pantanal

O fogo, que vem tentando ser combatido desde o dia 3 de outubro, se aproxima de pousadas e vilas na região da Transpantaneira, em Porto Jofre, em Poconé

Letícia Paris e Gabi Braz - PP

fogo e brigaadistas

 

O Pantanal continua sendo devastado pelo fogo e, nessa quarta-feira (15), as chamas tomaram conta dos dois lados da Rodovia Transpantaneira, na região de Porto Jofre, em Poconé, a 104 km de Cuiabá – que foi atingida pelos incêndios em 2020.

Equipes por terra e com o uso de aeronaves tentam combater as chamas, que se aproximam de pousadas e vilas; veja abaixo a situação:

Fogo na Transpantaneira

Desde o dia 3 de outubro deste ano, equipes dos bombeiros de Cuiabá, Cáceres e Poconé estão trabalhando juntos para conter o fogo. A velocidade em que as chamas se alastram é o que torna o combate mais difícil na região.

O combate também conta com a ajuda de brigadistas voluntários, como o Elizeu Evangelista, administrador de uma fazenda na região.

Também atuando no local, o biólogo da ONG SOS Pantanal, Gustavo Figueiroa, afirmou que, agora, a proporção que o incêndio tomou é muito mais difícil de ser combatida.

Cerca de 100 militares do Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso combatem oito frentes de incêndios florestais no Pantanal mato-grossense. Deste total, 60 militares atuam exclusivamente no combate aos incêndios na região do Parque Estadual Encontro das Águas e Transpanteira, em Porto Jofre.

As ações contam com o apoio de três aviões da Defesa Civil do Estado para o despejo de água, helicóptero do CIOPAer e 11 barcos para a infiltração de equipes, além de viaturas e caminhões-pipa.

 

A Sala de Situação Central do Batalhão de Emergências Ambientais, em Cuiabá, acompanha a evolução do incêndio para auxiliar no planejamento diário das estratégias de combate.

Situação de Emergência

As queimadas que atingem o bioma Pantanal, em Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, já consumiram uma área superior a 1 milhão de hectares, segundo o LASA/UFRJ (Laboratório de Aplicações de Satélites Ambientais da Universidade Federal do Rio de Janeiro). O espaço equivale a quase 7 cidades de São Paulo (SP).

Na última terça-feira (14), Mato Grosso decretou situação de emergência ambiental por 60 dias devido aos incêndios florestais no Pantanal. A medida foi publicada no Diário Oficial.

Animais mortos incendio Pantanal 2023 3
Animais morreram na região de Porto Jofre, devido aos incêndios. (Foto: Gustavo Figueiroa/SOS Pantanal)

O decreto permite a continuidade nos contratos de veículos e de brigadistas, além da compra de materiais necessários ao combate, em uma tentativa de evitar maiores devastações.

O presidente do Ibama, Rodrigo Agostinho, chegou também nessa terça em Mato Grosso e acompanha os trabalhos.

Trauma de 2020

Nos incêndios registrados em 2020, foram consumidos 4,5 milhões de hectares do Pantanal. Estudos dos Ministérios Públicos mostraram que a maioria dos incêndios foram registrados no interior das propriedades. Com isso, acreditam que os incêndios tentam sido provocados.

Também em 2020, cerca de 17 milhões de animais vertebrados morreram em consequência direta das queimadas no Pantanal. O número foi revelado por um estudo realizado por 30 pesquisadores de órgãos públicos, de universidades e de organizações não governamentais.

 
  • Devastação do bioma

    Galeria da destruição – Acompanhe os rastros do fogo em MT

  • Bombeiros no Pantanal
    Situação crítica

    Queimadas no Pantanal já equivalem a quase 7 cidades de São Paulo

  • Situação crítica

    MT decreta emergência ambiental por 60 dias após incêndios no Pantanal

  • Aparato de guerra

    Combate a incêndios no Pantanal conta com aviões, satélites e 60 militares

 


Comente esta notícia