12 de Julho de 2024

CIDADES Segunda-feira, 13 de Fevereiro de 2023, 16:13 - A | A

CONCESSÃO CONTESTADA

Turistas terão que desembolsar até R$ 70 para visitar Parque de Chapada, alerta Mauro

Governador quer convencer governo federal a desfazer o leilão e entregar o parque para o Estado, para manter visitação gratuita

Rafael Machado Repórter | Estadão Mato Grosso

cachoeira

 

O governador Mauro Mendes (União) continua com as tratativas com o governo federal para conseguir a concessão do Parque Nacional de Chapada dos Guimarães. Ele disse que as discussões sobre o tema já estão cansativas e irritantes, pois está há mais de dois anos articulando a transferência de responsabilidade.

Em entrevista à imprensa, Mauro comentou que o parque tem um grande potencial turístico, mas não há investimentos. Ele ainda falou que caso seja repassada a concessão para a iniciativa privada, os mato-grossenses e os turistas terão que desembolsar até R$ 70 para desfrutar das belezas e atrativos do local.

Isso já está até um pouco irritante porque falei dois anos com o governo do presidente Bolsonaro, pedi e mostrei: 'Olha, o Parque Nacional de Chapada está a 50 km de Cuiabá, é um complexo que tem um bom potencial turístico, mas zero de infraestrutura. Não tem atratividade, pouca gente está frequentando'. Agora, eles querem fazer uma concessão para alguém privado investir R$ 18 milhões em 30 anos e cobrar R$ 50 ou R$ 70 para você ir visitar uma cachoeira, está lá no processo”, destacou.

Em dezembro, o Ministério do Meio Ambiente anunciou a concessão do parque durante um leilão realizado na Bolsa de Valores de São Paulo. A empresa vencedora foi a Parques Fundos de Investimentos em Participações e Infraestrutura, representada pela Fram Capital.

Mauro disse que chegou a suplicar aos ex-ministros de Meio Ambiente, Ricardo Salles e Joaquim Leite, a transferência da gestão do parque, mas não conseguiu.

O governador avalia que os investimentos anunciados pela empresa vencedora do leilão são 'ridículos', especialmente em comparação com a proposta feita pelo Estado, que queria investir R$ 100 milhões em 4 anos. Com a mudança no governo federal, Mauro procurou o presidente Lula (PT) e os ministros Alexandre Padilha (Relações Institucionais), Rui Costa (Casa Civil) e Marina Silva (Meio Ambiente), na tentativa de sensibilizá-los.

Além disso, o governador comunicou que dobraria o valor que o Estado pretendia investir no parque, para R$ 200 milhões, na busca de transformá-lo num atrativo turístico sob o cuidado do governo estadual.

“Faz uma delegação de competência por 15 anos para o Estado cuidar, eu faço os investimentos, fica público aquilo para as pessoas, para o pai de família poder acessar. Vamos melhorar a infraestrutura, os acessos, algumas coisas que vai tornar a beleza natural mais agradável, mais acessível. Isso vai permitir para os cuiabanos, os mato-grossenses e para os brasileiros que aqui vierem, qualquer cidadão mundial acessar, interagir melhor com o potencial. Isso faz parte de desenvolvimento do turismo”, disse.



Comente esta notícia