12 de Julho de 2024

CIDADES Quinta-feira, 02 de Junho de 2022, 12:04 - A | A

FISCALIZAÇÃO

Mais uma comissão da Câmara Federal virá a Cuiabá vistoriar obras do VLT

Tarley Carvalho - Estadão MT

vlt gde 2

 

A Comissão de Obras Paralisadas e Inacabadas da Câmara Federal aprovou dois requerimentos referentes às obras do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) de Cuiabá-Várzea Grande nesta quarta-feira, 1º de junho. Foram aprovados a visita técnica in loco, com realização de reunião com o governador Mauro Mendes (União Brasil) e com o prefeito da Capital, Emanuel Pinheiro (MDB), além de pedido de informações ao Tribunal de Contas da União (TCU) relacionadas às obras.

Durante a reunião, a presidente da comissão, deputada federal Flávia Morais (PDT-GO), mencionou que a obra é alvo de disputa política em Mato Grosso e disse que espera contribuir para o fim do imbróglio instalado na região metropolitana.

 

É uma obra que começou como BRT, foi transformada através da aprovação de uma lei em VLT e hoje tem um grupo político que quer que volte pro BRT. Tem outro que quer que fique VLT, existe uma confusão ainda em relação à qual é o melhor modal. Na verdade, eles chamam até de “vergonha nacional” a não conclusão dessa obra. Eu acredito que nós teremos um papel fundamental para conseguir definir e ajudar a buscar uma solução pra continuidade dessa obra”, disse.

A visita ainda não tem data para acontecer, mas deve ser realizada em breve, já que a comissão tem pressa em visitar obras inacabadas pelo país. A presidente chegou a citar que a comissão recebeu o pedido de visita, mas não mencionou sua autoria. É possível que o pedido tenha partido de seu colega de Parlamento, Emanuel Pinheiro Neto, o “Emanuelzinho” (MDB), filho do prefeito de Cuiabá, que é o principal defensor do VLT.

Esta é a segunda visita oficial da Câmara dos Deputados aprovadas nas últimas semanas. No último dia 18, a Comissão de Viação e Transportes aprovou o requerimento para realização de visita técnica nas obras inacabadas.

O documento foi apresentado pelo deputado Gutemberg Reis (MDB-RJ), que citou que o modal deveria ter sido entregue à população em março de 2014 e que recentemente o Governo havia anunciado a mudança para BRT, mesmo com mais de R$ 1 bilhão investidos.

Essa substituição foi anunciada em dezembro de 2020 pelo governador Mauro Mendes (União). No mês passado, o TCU determinou a suspensão de todos os trâmites da substituição da obra, que já estava em processo de licitação.



Comente esta notícia