20 de Julho de 2024

CIDADES Quarta-feira, 07 de Junho de 2023, 18:24 - A | A

Meio Ambiente

Arquitetura e urbanismo sustentáveis: práticas auxiliam o meio ambiente e podem ser mais baratas

Arquitetura, sustentabilidade e tecnologia andam juntas

Leiagora

quiosque e sol

 

Jogar o lixo no local correto, evitar o uso de utensílios descartáveis e reaproveitar materiais são hábitos do dia a dia que contribuem para a preservação do ecossistema.

A semana do Meio Ambiente é comemorada de 5 a 9 junho e pensar em preservação pode incluir diversas áreas, como a da arquitetura e do urbanismo. Criar projetos sustentáveis, com soluções estratégicas, não só contribui com a causa, como também faz bem para o bolso do cliente a longo prazo.

Segundo a especialista em arquitetura sustentável, a arquiteta e urbanista Maria Lívia Souza, as soluções podem levar em consideração desde o aproveitamento da luz natural até a escolha por materiais sustentáveis. Ela acredita que as intervenções possam acontecer em locais que já estão prontos, por meio de intervenções no sistema construtivo, por exemplo. Em trabalho desenvolvido durante o mestrado, onde analisou uma construção na cidade de Cuiabá (MT) concluiu que existe redução considerável no gasto energético quando se pensa em soluções sustentáveis.

A análise considerou um projeto já construído, onde o resfriamento significava 50% do valor destinado ao gasto com energia. “Temos que considerar que existem coisas que não conseguimos mudar, por exemplo, quando já temos uma sala construída, com janelas direcionadas para um local que não podemos mexer. Então comecei a testar isoladamente cada estratégia, para entender qual delas teria maior influência na diminuição de gasto com resfriamento”, explica.

A especialista comenta que a alteração do sistema construtivo das paredes, aplicada no estudo em questão, demonstrou diminuição considerável no gasto com energia. “A mudança aplicada neste caso, foi uma camada de isolante térmico nas duas extremidades da parede (dentro e fora) e como resultado, tivemos a queda no custo utilizado para o resfriamento do local”, completa.

A arquitetura e a tecnologia devem estar alinhadas, pois é preciso lembrar que a sustentabilidade não está ligada apenas ao telhado verde ou às placas solares, por exemplo. Por isso, é essencial pensar em opções que sejam ambientalmente corretas, “até porque no futuro as despesas que o cliente terá com a manutenção da edificação serão impactadas, ele deixa de gastar energia, ao mesmo tempo em que preserva o local onde todos vivem”, comenta a arquiteta. Finaliza dizendo que a redução do gasto com de energia é perceptível, mas a porcentagem irá depender de cada caso.

É preciso analisar cada projeto e saber quais medidas sustentáveis podem ser utilizadas. Até porque elas podem ser isoladas ou combinadas. Tudo depende do custo-benefício”, finaliza.



Comente esta notícia