20 de Agosto de 2019

AGROECONOMIA Sábado, 03 de Agosto de 2019, 19h:15 - A | A

Produtores articulam abertura de bolsa de valores da América do Sul para cotar soja

Brasil, Argentina e Paraguai

Vinícius Bruno - RD News

Assessoria

image

Produtores de soja do Brasil, Argentina e Paraguaia começaram articulação para a criação de uma bolsa de cotação de preços da América do Sul, cujo foco é balizar o preço da soja produzida no Mercosul, onde está 62% do grão que abastece o mercado internacional. Se concretizada, e com forte potencial para ser colocada em prática, a iniciativa visa declarar independência da cotação de preço feita pela Bolsa de Chicago, nos Estados Unidos, que tem provocado pouca mobilidade aos produtores rurais na hora de vender o produto e comprometido diretamente os lucros no campo. 

A cotação da soja nos Estados Unidos traz menos competitividade aos produtores brasileiros e dos demais países da América latina, isso porque, o custo de produção alinhado com variáveis econômicas, como a deficitária logística de regiões como o Centro-Oeste, por exemplo, acabam reduzindo diretamente as margens de ganho do produtor primário.

 

Além da cotação de preço, que é um tema de grande relevância para o segmento, outros temas deverão ser objeto de discussão em nível de bloco como a biotecnologia e os limites máximos de resíduos. De acordo com o diretor-executivo da Aprosoja, Wellington Andrade, estes temas foram tratados na reunião realizada em Buenos Aires entre a Aprosoja-MT, Aprosoja Brasil, associações de produtores da Argentina (CREA e AAPRESID) e do Paraguai (APS). O encontro foi realizado na quinta (1º).

A intenção é a criação de uma aliança dos países do Mercosul para fortalecer o mercado de soja. Uma nova reunião deverá ser marcada para colocar em prática a formação do bloco. Por ora, as associações que representam os produtores de cada país deverão aprofundar o tema em suas respectivas agremiações. A tendência é que a aliança se concretize.

Imprimir


Comentários